Bermuda chega pra ficar no ambiente corporativo

chinelo1

Sexta-feira, 7 de fevereiro. Os termômetros em São Paulo atingiram 36,4°C, maior temperatura do ano, a maior observada no mês de fevereiro em São Paulo desde 1943. No Rio de Janeiro não foi diferente: 40,8ºC, no dia 4 de fevereiro, a maior média do ano.

Mas essa intensa onda de calor pode entrar para história também pelas suas consequências no armário corporativo dos homens. A liberação do uso de bermudas nos escritórios já faz história, ganha espaço nas redes sociais e vem aderindo cada vez mais seguidores e admiradores.

Na cidade carioca, por exemplo, é autorizado o uso de bermudas na altura do joelho para servidores municipais, motoristas de táxis, ônibus, vans, kombis credenciadas e cobradores de ônibus. A permissão é válida até 31 de março.

Ainda no Rio, o ilustrador André Amaral Silva, cansado de sentir calor, ficou famoso por ir trabalhar vestindo saia. “Depois de dois anos trabalhando sem ar condicionado em meu prédio e após ter tentado buscar uma solução com os administradores durante todo esse tempo, sem sucesso, resolvi vir trabalhar de saia.” contou no Facebook.

Em São Paulo, a medida também começou a ser adotada. O Tribunal de Justiça de São Paulo desobrigou o uso de terno e gravata em suas dependências e nos Fóruns de Justiça do Estado. Conforme determinação do presidente do TJ-SP, desembargador José Renato Nalini, o uso ficará facultativo até 21 de março.

No Groupon, por exemplo, o uso de trajes mais despojados sempre foi aceito. O diretor de Comunicação e Marketing da empresa, Tomás Penido, conta que desde 2010, quando o Groupon abriu um escritório no Brasil, nunca existiu um dress code específico ’bermudas e roupas leves são permitidas normalmente’, conta.

Segundo Tomás, a empresa trabalha com 2 filosofias: ‘Fazer a vida menos chata’ e ‘Ótimas pessoas fazem ótimas empresas’. ‘Acreditamos que os colaboradores são ótimas pessoas, responsáveis, que vão produzir mais e melhor por estarem à vontade no escritório.’

bermuda1

Na sexta-feira, 14 de fevereiro, os 650 funcionários do Groupon no Brasil também estiveram liberados para usar chinelos durante o expediente. A permissão faz parte de um projeto chamado “Fun Friday”, que existe desde meados de 2012 na empresa. Por meio dele, uma sexta-feira de cada mês se transforma em uma espécie de dia oficial da festa à fantasia no ambiente corporativo.

De acordo com Gabriel Frank, diretor de recursos humanos do Groupon para a América Latina, ter funcionários fantasiados durante o expediente, ao contrário do que se imagina, não atrapalha a produtividade.

“Nosso compromisso com o resultado é muito alto, mas a própria liderança dá o exemplo de que é possível ser sério sem ser sisudo. Há uns três meses, o presidente e um dos diretores estavam em uma reunião super importante sobre números e tendências para o mês, mas um estava vestido de Homem Aranha e o outro de Capitão América”, conta.

Ele diz que o projeto ajuda, inclusive, no engajamento e na atração de novos funcionários. “Em São Paulo, eles saem fantasiados para almoçar juntos na (avenida) Paulista. Isso já está ficando famoso na região”, brinca.

“Candidatos a emprego vêm fazer entrevista no dia do Fun Friday e isso faz toda a diferença. Porque ajuda a quebrar o gelo, mostra a irreverência da empresa e reforça a nossa identificação com a geração Y”, completa.

chinelo1

E na sua empresa, qual é o dress code? Também há projetos de dias temáticos? Conte nos comentários.

Fonte: Estadão e Revista Exame

6 maneiras de envolver e motivar funcionários da Geração Y

millenials

Com mais de 20 milhões de jovens entre 18 e 35 anos no mercado brasileiro, a Geração Y forma uma gritante força de trabalho. Definitivamente você deve ter contratado alguém nessa faixa – ou é um.

Uma das características mais comentadas da tal geração é a mobilidade de saltar de um emprego para outro; o que pode ficar caro para empresas de todos os tamanhos, que se encontram tendo que treinar constantemente novos colaboradores.

Então, como você pode envolver e motivar esses funcionários?

A Geração Y quer trabalhar para empresas que compartilhem seus valores

Se você ainda não fez uma declaração de valores para o seu negócio, faça – e publique onde seus funcionários possam ver. Sempre que você realizar uma reunião ou enviar um e-mail aos seus funcionários, puxe um aspecto dos valores da empresa para lembrá-los de que estão fazendo o trabalho que se encaixa a eles.

A Geração Y precisa de um trabalho significativo

Mais do que tudo, esses jovens precisam sentir e saber como estão contribuindo positivamente para o seu negócio. Enfatize como suas tarefas e projetos estão ajudando o crescimento da empresa. Seja transparente com as finanças (gastos e lucros) e peça ajuda para cortar despesas e aumentar a receita.

A Geração Y quer fazer a diferença na comunidade

Eles são socialmente conscientes e querem fazer a diferença na sua comunidade local. Dê-lhes sinal verde para se organizarem e montarem projetos ou programas que beneficiam uma instituição de caridade local ou crianças necessitadas. Isso também irá fortalecer os laços da sua empresa com a comunidade e aumentar a sua visibilidade.

A Geração Y precisa de feedback imediato e regular

Crie o hábito de agradecer regularmente esses funcionários e reconhecer suas conquistas. Deixe-os saberem o que estão fazendo bem para realmente impulsionar a produtividade e a motivação, e entregue sugestões para a melhoria suavemente, mas com a reafirmação de que você sabe que podem fazê-lo.

A Geração Y é empreendedora

Como esses jovens têm uma mentalidade empreendedora, foque em sua criatividade e energia. Peça-lhes para assumir a liderança no desenvolvimento de novos produtos ou serviços, ou explorando novas fontes de receita – e os recompense por esforços bem sucedidos.

A Geração Y prospera em um ambiente de trabalho flexível

Essa nova geração não gosta de locais de trabalho altamente estruturados, por isso, na medida do possível, permita flexibilidade. Um estudo de 2012 da Fundação Griffith mostrou que a Geração Y sacrifica salários para aumentar o tempo de férias e de trabalho remoto, desde que continuem com bom desempenho.

O que mais você faz para envolver e motivar os seus colaboradores da Geração Y?